quarta-feira, 8 de março de 2017

Para você que vai chegar...

Eu pensei que você chegaria para o meu aniversário. Eu sei, ansiedade... Mulher, né, você sabe... Imaginei você preparando uma festa surpresa, convocando nossos amigos, minha cara de besta, o primeiro pedaço de bolo seria nosso (ainda não sei dividir comida, tenha paciência!)... Eufórica, abriria o presente, como criança. Lá dentro, aquele cordãozinho de ouro que paquero há meses, delicado como os carinhos que você me faz... Daríamos um longo abraço, eu te olharia nos olhos, encostaria meu nariz no teu, fecharia os olhos e te daria um beijinho rápido, já que você não gosta muito dessas demonstrações em público... Riríamos juntos, dançaríamos a nossa música, seria uma noite feliz, como venho sonhado faz tempo...

Mas você não chegou...
Uma parte de mim embruteceu, sabe, acha que isso tudo é bobagem, é perda de tempo. Vive mandando eu guardar esse amor na gaveta, até que eu não me lembre mais, como se fosse uma conta antiga, já paga, esquecida no fundo do móvel. Eu tentei ser assim, juro. Até fui. Mas há uma outra parte de mim que insiste em manter o jardim em ordem. Essa parte me rega, pra que eu seja flor e não pedra. Ela ainda sonha, tola que é. Sonha com os passeios de mãos dadas que eu gosto tanto. Ela diz que ainda vamos dar a nossa volta na Lagoa e tomar água de coco por lá. Passearemos de bicicleta até ficarmos com as pernas dormentes! Essa minha parte Insiste pra que eu não esqueça como era bom ter em quem pensar e pra quem voltar. Eu tento desistir, mas essa parte não deixa.

E é essa parte, meu querido, que ainda escreve pra você, que ainda olha pela janela todos os dias e diz pra si mesma: sorria, pode ser hoje!

Às vezes, rabisco nomes imaginários no papel, e rio de tamanha bobeira. E aí penso: Será que em algum lugar você também rabisca meu nome? Será que pensa em como eu seria? Imagina o tom da minha voz e o brilho da minha gargalhada? Com que cor você colore os meus olhos? Qual a altura que você imagina que eu tenha?

Abaixo a cabeça. A parte bruta diz novamente pra eu endireitar a postura e respirar fundo, enquanto a outra diz: "tudo bem, eu enxugo essa lágrima que quis evaporar no seu rosto"... (Agradeço, sem que a outra perceba) "Não fica assim, não! Quando menos esperar, ele vem, ele chega. E você vai saber que ele veio pra nunca mais ir, e a pedra será flor novamente..."

Que assim seja... Até mais, Boás



Um comentário:

  1. Vc tem uma linha de menina sonhadora que ás vezes se confunde desejos e encanto e realidade porém continua acreditando. Mas a definição mais legal dos seus textos é que a cada passo, uma surpresa e a cada leitura uma interpretação nova do entendimento anterior. Isso é bom! Parabéns minha amiga

    ResponderExcluir